A bióloga que foi trabalhar com tempo compartilhado


Oriane Freire, supervisora da Aviva Vacation Club, conta como foi seu crescimento da empresa, saindo do atendimento ao cliente no pós-vendas até se tornar líder no mini vac

  • Maria Laura Saraiva


Dizem que filho de peixe, peixinho é. Foi o caso de Oriane Freire do Vale Oliveira, 34, mineira de Belo Horizonte que se mudou com 8 anos para Caldas Novas, em Goiás, quando seu pai recebeu o convite para trabalhar em um hotel local. Com a mãe também hoteleira, a menina que queria ser veterinária começou a atuar no turismo aos 13 anos para juntar um dinheirinho e, duas décadas depois, permanece no segmento de viagens.

“Muito nova eu já sonhava em ter minha casa, meu carro e minha família, então eu falei para a minha mãe que queria começar a trabalhar”, recorda ela. O pedido foi o pontapé inicial que a levou para o Sindicato de Hoteleiros de Caldas Novas, onde trabalhou como secretária enquanto ainda estudava.

No início, a sua paixão por animais e o sonho de cursar medicina veterinária ainda despertavam dúvidas sobre o futuro. “Se por um lado eu queria sair de onde eu estava e estudar, por outro eu queria conquistar as coisas na vida. Então eu tinha esses dois caminhos para seguir e pensava: como não tinha condições de me estabelecer em uma, eu iria continuar na outra, no turismo. Como eu já trabalhava com isso, também já estava aprendendo a amar o ramo”, explica Oriane.

Início no tempo compartilhado

Treinamento da equipe de Telemarketing e Mini Vac


Acabando por unir o útil e o agradável, como diz, e se formando em Biologia enquanto entrava para o time do Rio Quente Vacation Club (atual Aviva Vacation Club), no atendimento ao cliente. Almejando crescer dentro da empresa, ela conta que se candidatava para fazer parte dos eventos e a aprender sobre o funcionamento de outros setores, o que acabou chamando a atenção dos coordenadores. ‘’Fiquei no atendimento telefônico por 2 anos, até surgir uma vaga interna para o setor de Cobranças. Me perguntaram se eu queria tentar e eu disse: vamos’’.

Entrando em um mundo até então desconhecido, Oriane viu a necessidade de estudar mais sobre negociação, uma área em que ela nunca havia se imaginado fazendo parte. ‘’Cobrar algo que o cliente não está usando não é fácil e eu acabei me destacando nisso”, enfatiza ela.

Um ano depois e os esforços foram novamente recompensados. A bióloga foi chamada para fazer um projeto dentro da empresa chamado ‘’Reconquista’’, que queria atrair clientes inadimplentes de volta para a base. “Nós tínhamos uma meta Y e conseguimos atingir Y + X. Foi exatamente 1 ano ali, muito bom e uma outra descoberta: aprendi a posicionar os valores da empresa para o cliente”, conta Oriane.

Depois de também passar pela Ouvidoria, os passos de formiguinha a levaram para um dos seus grandes objetivos na carreira: ser uma líder. Integrando o time de negociação, acabou sendo convidada para ocupar o lugar da então líder que precisou ser afastada. “Quando liderei essa equipe de retenção por 6 meses, percebi o que a gente precisava melhorar e coloquei minhas ideias em prática. Atingimos os resultados e foi uma conquista muito satisfatória”.

Saindo do pós-vendas para vendas


Top Seller Event 2018


Quando a líder anterior voltou, Oriane foi convidada para, o que ela avalia hoje, como o momento mais difícil da carreira - e nem por isso sem grandes recompensas. Chamada para ser a líder do Mini Vac, um setor mais comercial dentro da Aviva, a profissional se viu em uma transição que a fazia sair da zona de conforto do que havia trabalhado anteriormente. “Toda a minha carreira e minhas conquistas até o momento tinham sido dentro do pós-vendas e sair disso me deu um baque. Eu pensava: ‘será que é isso mesmo que eu quero, ir para o lado comercial?’, me deu um receio, mas daí eu encarei e tudo que é novo sempre me atraiu. Comecei a olhar por esse lado”, relata ela.

Essa reestruturação a fez olhar para as suas próprias qualidades e defeitos, exercício árduo que a fazia se comparar com os colegas que pareciam não ter as dificuldades que ela sentia. ‘’Fui atrás de conhecimento, de conversar com pessoas com habilidade e procurei me desenvolver nisso. Era diferente, antes trabalhava com meus amigos e as minhas ideias eram sempre acatadas, lá eram todos novos e tive que me impor. Essa imposição à noite me doía como pessoa”.

Mas o pior logo passou, e depois da transição os resultados atingidos a levaram para o outro extremo - a satisfação máxima com a carreira. Depois de observar o funcionamento da sala de vendas, Oriane propôs algumas mudanças de formato para os seus diretores, que acataram a ideia, mesmo sendo algo muito novo. O resultado dificilmente poderia ter sido melhor: no segundo mês o número de reservas saiu da média de 50 para incríveis 170. “Esse resultado me mostrou que eu era capaz de fazer diferente. Ter um resultado onde a ideia partiu de mim e a minha equipe fez acontecer, aquilo pra mim foi muito memorável e muito gratificante”, relata ela.

Mais promoções


Oriane com a equipe de Mini Vac


A expectativa que a menina com 13 anos já tinha, de crescer profissionalmente, aconteceu. A última promoção foi em setembro do ano passado, para coordenadora de Mini Vac. “Chorei em casa sozinha de alívio pensando: consegui chegar aonde eu queria”, comemora Oriane.

Mas engana-se quem pensa que os convites e a evolução surpreendiam a mineira: os resultados eram as consequências naturais de todo seu esforço e sua luta. “Nada mais do que a minha obrigação”, brinca ela. “Essa promoção eu já esperava. Inclusive, eu a queria antes. Comecei a almejar e querer aquilo para mim, porque tinha muitas ideias para a equipe. Nunca fui uma pessoa de olhar para as minhas conquistas como surpresa: sempre lutei e sempre almejei. Então eu fico é feliz”.

Para a bióloga que seguiu carreira no turismo, a vontade de desbravar o novo a motivou a subir os degraus que a conduziram para onde queria. “Eu analiso a minha vida profissional como uma vida de conquista. A partir do momento que eu coloquei como meu objetivo crescer dentro da Aviva, que era onde meus valores batiam, assim aconteceu. Eu conquistei, talvez não nos meus momentos, mas nos momentos de Deus, nos momentos certos”.


Festa de premiação da Aviva Vacation Club em 2018

#avivavacationclub #tempocompartilhado #crescimentoprofissional #turismo

LOGO TC CDR W.png